Xbox One + Windows 10 = ❤

Status
Este tópico está fechado para novas postagens.

Victal

Viciado
10,909
9,607
Porque o dispositivo é o que menos importa


Muda o dispositivo, mas o sistema continua o mesmo

Faz tempo que a Microsoft tem trabalhado para unir as suas plataformas — o Xbox e o Windows — em um único ecossistema. Não precisa ir longe pra ver isso: a Xbox Live, rede de jogos da empresa, já co-existe entre o videogame, os PCs/Surfaces e os Windows Phones. Tudo interligado, como se espera de uma rede.

Hoje, inclusive, você consegue jogar remotamente títulos do Xbox One diretamente no PC, tablet ou celular normalmente. Isso tudo usando o joystick, que já conversa com todos os meios por padrão. O Elite Controler, lançado em 2015, já nasceu compatível com Windows.

A Cortana, a assistente pessoal do Windows, foi anunciada como função a ser incorporada no Xbox One em breve (alguns usuários já estão testando a novidade).

Diferentemente de enxergar sistemas independentes, com usuários distintos, a MS vê um tantinho além: o hardware é apenas um meio para um sistema bem mais amplo. Seja pra jogar, usar email ou o que quer que seja, a nuvem terá um papel crucial unificando tudo.

Obviamente isso tem sido feito passo a passo. O próximo, por exemplo, é permitir que usuários de Xbox e de PC joguem juntos. Fable Legends terá essa opção, que tende a se tornar mais e mais comum nos próximos anos. Pouco importa o dispositivo que esteja usando simplesmente porque o conteúdo virá exatamente do mesmo lugar.

Alguns jogos de Xbox já processam funções remotamente, dispensando o hardware que está na sua casa. Forza 6 utiliza um sistema de Inteligência Artificial totalmente gerenciado à distância. Crackdown 3, previsto para este ano, se beneficia da nuvem para processar toda a destruição do cenário, liberando o videogame para cuidar de outras funções do jogo.

São os primeiros passos para que, em algum momento, não haja mais necessidade do que hoje chamamos de videogame ou de computador. Basta considerar que o HoloLens não é nem um nem outro, mas ambos. E fazendo uso quase que integral de processamento remoto.

A empresa tem apostado alto na nuvem. Não à toa o Satya Nadella assumiu o posto de CEO da MS. Era ele o responsável pela divisão "Cloud" na companhia. Esse é o foco do sujeito.

Logo, permitir que jogos do Xbox One funcionem também no Windows 10 me parece o caminho óbvio. No lugar de criar barreiras protecionistas entre as plataformas, abre-se o leque de opções aos usuários.

A propósito, o próprio Phil Spencer tem dito isso há tempos. Na última entrevista que fiz com ele, Spencer voltou a afirmar o plano de "quebrar o muro entre os sistemas" e ampliar as escolhas dos jogadores. A entrevista estáaqui, caso interesse.

Concordo que seja difícil imaginar algo assim considerando que por tantos tempo estivemos acostumados a lidar com aparelhos específicos com funções específicas. O próprio conceito de videogame remete a um aparelho feito para rodar jogos e fim de papo. Acontece que esse conceito vem mudando — e não só no Xbox. Possivelmente a Microsoft foi a pioneira em considerar um console como um centro de entretenimento, mas certamente não foi a única.

Daí a pensar em um sistema que funcione independentemente do hardware que você tiver faz mais sentido. Poder comprar um jogo e usá-lo onde e como quiser me parece bem mais interessante do que o modelo atual.

Gosta de como a Live funciona? Ótimo, porque isso só tende a melhorar, seja num dispositivo móvel, seja numa caixa que você tenha na cozinha, na sala ou no escritório. Todos os seus arquivos, lista de amigos, saves etc estarão sempre à mão, não importa onde você esteja. Como isso pode ser ruim?

Isso talvez explique a fúria desencadeada na internet depois que a MS anunciou Quantum Break como um título de Windows também. Pessoal ainda está amarrado ao conceito jogo/console, enquanto a MS está tentando popularizar o conceito comunidade/sistema. Eu vejo com bons olhos —e não sou o único.

E você, o que considera disso tudo?

@DarthMaulBR

Fonte:

 

jairopicanco

Viciado
4,462
8,750
Manaus
O problema não está no conceito, e sim em como comunicar esse conceito. Em poucos meses de Xbox One eu já fiquei mais tempo on line jogando do que minha vida inteira de jogador em outras plataformas, e até agora, na prática, no dia a dia de jogatina, não vejo nada que desabone o Xbox One tendo em vista esse conceito mas... prefiro esperar pra ver quais os próximos passos da M$.
 

Ronan Barros

Novato
829
937
bom... apesar de até acreditar que a opinião do nelson seja sincera... convenhamos... as palavras dele em favor da empresa sempre serão questionáveis.

Agora... sobre toda esta mudança de politica da MS unindo o xbox ao W10.... sinceramente... não mudou em nada minha relação com o meu xone. Eu gosto do xbox one e como ele se encontra no centro da minha sala. Gosto da live e dos 4 jogos por mês. Gosto das possibilidades da retrocompatibilidade. Gosto até do mal fadado kinect. rsrsrs...

O xbox é minha plataforma para jogar. Muitos poderão levantar que um pc é melhor e tal, mas acho que a questão aqui é simplesmente o que é mais adequado para cada usuário. Tipo... as vezes vc ja tem um PC com ótimas configurações... as vezes um pc não seria a ferramenta certa para se colocar no centro da sala (muitas pessoas usando e tal...)... enfim... que cada um use a plataforma que melhor lhe couber. Simples assim.

Agora... convenhamos... ao que eu entendi até agora nós consumidores apenas ganhamos com toda esta integração. Afinal, não é todo dia que eu compro 1 jogo e ganho de graça ele para outra plataforma...

Eu realmente não entendi o que estamos perdendo com esta união dos sistema... estamos perdendo o poder de dizermos "eu joguei e vc não?". Sério? É isto que estamos perdendo?
 

Edu Barros

Viciado
PXB Gold
5,249
6,764
Ribeirão Preto
Eu não concordo com a visão exposta pelo Nelson. Essa questão de aumentar o poder de escolha seria muito bonita se todos estivessem fazendo o mesmo, mas o que eu vejo no momento é o Wii U/NX com seus exclusivos, PS4 com seus exclusivos e a base de exclusivos do Xbox One sendo fragmentada entre console e PC. Adicione a isso o fato de que a dominância do PS4 no mercado é avassaladora e pra completar o Xbox One é um console mais complicado de se programar e obter os mesmos resultados. Isso tudo pode diminuir o estímulo para que os devs levem seus jogos pro Xbox One, pois é um custo que pode não retornar, mesmo incluindo o PC na equação. Já li diversas matérias que afirmam que o lucro nos consoles é muito maior que nos PCs por diversos motivos, vou tentar buscar alguns links e postar aqui. É claro que um exclusivo no PS4 não é garantia de sucesso, mas além do fato de todos os exclusivos receberem apoio financeiro da Sony, o que reduz o risco, a possibilidade do jogo vender muito é grande principalmente por causa da base instalada.

Enfim, não sou contra os planos da Microsoft, apesar de não concordar, mas acho que as pessoas estão com uma visão muito rasa do problema. Não vejo isso apenas como uma questão de mais pessoas poderem jogar o mesmo jogo, isso é apenas o que a Microsoft está tentando lançar na cabeça do público pra poder aumentar seus lucros. Há muitas variáveis em cena aqui, e acho que o Nelson tratou o assunto de maneira muito simples e superficial, ignorando principalmente o fator sentimento que existe nos consoles desde a era Nintendo 8 bits.

Esse assunto ainda vai dar muito pano pra manga. Pelo menos dá gosto de ler isso tudo aqui no PXB, pois temos muitos pontos de vista diferentes, mas sempre com respeito.
 

SouzaRJ

Acho que to ficando velho
PXB Gold
9,391
6,684
Nova Iguaçu - RJ
Como já disse no outro tópico, acho que o único "erro" dessa história foi marketear o jogo como lançamento exclusivo do console e depois nos 45 do segundo tempo mostrar a versão para PC. De resto, se continuar saindo jogo para o console para o XONE, pode lançar ele em conjunto até no Dynavision que eu não me importo.

Se o lance do cross buy me permitir vender o códigos de PC, melhor ainda. Recuperarei fácil 40% dos investimentos que fizer nesses jogos "Only Microsoft".
 
  • Curtir
Reações: JBFM e Ronan Barros

jairopicanco

Viciado
4,462
8,750
Manaus
Eu não concordo com a visão exposta pelo Nelson. Essa questão de aumentar o poder de escolha seria muito bonita se todos estivessem fazendo o mesmo, mas o que eu vejo no momento é o Wii U/NX com seus exclusivos, PS4 com seus exclusivos e a base de exclusivos do Xbox One sendo fragmentada entre console e PC. Adicione a isso o fato de que a dominância do PS4 no mercado é avassaladora e pra completar o Xbox One é um console mais complicado de se programar e obter os mesmos resultados. Isso tudo pode diminuir o estímulo para que os devs levem seus jogos pro Xbox One, pois é um custo que pode não retornar, mesmo incluindo o PC na equação. Já li diversas matérias que afirmam que o lucro nos consoles é muito maior que nos PCs por diversos motivos, vou tentar buscar alguns links e postar aqui. É claro que um exclusivo no PS4 não é garantia de sucesso, mas além do fato de todos os exclusivos receberem apoio financeiro da Sony, o que reduz o risco, a possibilidade do jogo vender muito é grande principalmente por causa da base instalada.

Enfim, não sou contra os planos da Microsoft, apesar de não concordar, mas acho que as pessoas estão com uma visão muito rasa do problema. Não vejo isso apenas como uma questão de mais pessoas poderem jogar o mesmo jogo, isso é apenas o que a Microsoft está tentando lançar na cabeça do público pra poder aumentar seus lucros. Há muitas variáveis em cena aqui, e acho que o Nelson tratou o assunto de maneira muito simples e superficial, ignorando principalmente o fator sentimento que existe nos consoles desde a era Nintendo 8 bits.

Esse assunto ainda vai dar muito pano pra manga. Pelo menos dá gosto de ler isso tudo aqui no PXB, pois temos muitos pontos de vista diferentes, mas sempre com respeito.
Agora tu falaste algo interessante: O fator sentimento. há uma cultura consolidada e um apego grande com a caixa, o console, e não é a toa que são investidos milhões de dólares em design, pesquisa e desenvolvimento nesse hardware, a fim de que o jogador se identifique com ele, e rode os jogos com a qualidade devida. Isso não se muda da noite para o dia, com o estalar dos dedos, e o desejo do jogador SEMPRE deve ser levado em consideração nesta equação.
bom... apesar de até acreditar que a opinião do nelson seja sincera... convenhamos... as palavras dele em favor da empresa sempre serão questionáveis.

Agora... sobre toda esta mudança de politica da MS unindo o xbox ao W10.... sinceramente... não mudou em nada minha relação com o meu xone. Eu gosto do xbox one e como ele se encontra no centro da minha sala. Gosto da live e dos 4 jogos por mês. Gosto das possibilidades da retrocompatibilidade. Gosto até do mal fadado kinect. rsrsrs...

O xbox é minha plataforma para jogar. Muitos poderão levantar que um pc é melhor e tal, mas acho que a questão aqui é simplesmente o que é mais adequado para cada usuário. Tipo... as vezes vc ja tem um PC com ótimas configurações... as vezes um pc não seria a ferramenta certa para se colocar no centro da sala (muitas pessoas usando e tal...)... enfim... que cada um use a plataforma que melhor lhe couber. Simples assim.

Agora... convenhamos... ao que eu entendi até agora nós consumidores apenas ganhamos com toda esta integração. Afinal, não é todo dia que eu compro 1 jogo e ganho de graça ele para outra plataforma...

Eu realmente não entendi o que estamos perdendo com esta união dos sistema... estamos perdendo o poder de dizermos "eu joguei e vc não?". Sério? É isto que estamos perdendo?
Bem isso mesmo. Baseado na minha experiência diária com o Xbox One, só migro pra outra plataforma se a minha experiência de usuário estiver altamente comprometida, ou perceber uma larguíssima vantagem prática no que os concorrentes oferecem. Por enquanto não vejo nem uma coisa nem outra, bem longe disso.
 

Ronan Barros

Novato
829
937
o que eu vejo no momento é o Wii U/NX com seus exclusivos, PS4 com seus exclusivos e a base de exclusivos do Xbox One sendo fragmentada entre console e PC.
mas mesmo com seus exclusivos, o Wii U não parece andar muito bem nas vendas...

o Xbox One é um console mais complicado de se programar e obter os mesmos resultados. Isso tudo pode diminuir o estímulo para que os devs levem seus jogos pro Xbox One, pois é um custo que pode não retornar, mesmo incluindo o PC na equação.
mas... e se esta integração visar exatamente aproximar a programação do xone algo mais proximo do w10? Ai talvez já seja compensador para as desenvolvedoras... mas aqui é soh especulação minha mesmo.... afinal... eu não entendo nada sobre desenvolvimento dos jogos.
 
  • Curtir
Reações: Edu Barros

DouglasFranchin

Jogador
2,363
1,600
MS vê um tantinho além
A MS via um tantinho além lá em 2013 hehe... "tudo hoje em dia está conectado, vamos fazer com que nosso console só funcione se estiver conectado..."
óbvio que o exemplo não é pra comparar com o que está acontecendo, até porque jogo de One indo pro PC não tem nada a ver com "always on", porém, a situação pode ser parecida com essa investida "visionária". Pode dar certo, mas pode dar errado. Torcemos que dê certo é claro.
é permitir que usuários de Xbox e de PC joguem juntos
Quero ver isso em todos os futuros jogos, incluindo Halo no PC com partidas crossplatform de pessoas que pagam Live, e outras que não pagam. Pessoas com mouse e outras com controle.
Pouco importa o dispositivo que esteja usando simplesmente porque o conteúdo virá exatamente do mesmo lugar.
Então não sei qual é a do Xbox One. Se o dispositivo não importa, porque a MS me convenceu a fazer um upgrade de console? Acho que esse argumento se aplica à muita coisa como arquivos de Word no PC e mobile, Netflix no PC, Smart TVs, mobile e consoles e etc... Agora em jogos? Complicado. Porque aí eu já não vejo a razão da existência de um equipamento desenhado especificamente pra rodar jogos. Talvez seja esse o ponto da MS. Prevendo um futuro que não suporta mais o mercado de consoles.

Alguns jogos de Xbox já processam funções remotamente, dispensando o hardware que está na sua casa.
Não vejo como vantagem porque vai saber, o provedor de internet pode falhar com o serviço, estragando a graça de qualquer benefício da nuvem. Tal qual é com netflix por exemplo. É incrível ter tantos títulos a disposição, mas sem internet, você só tem aqueles 5 blu rays ali que você já assistiu várias vezes. Sacou?

Logo, permitir que jogos do Xbox One funcionem também no Windows 10 me parece o caminho óbvio.
De fato.

No lugar de criar barreiras protecionistas entre as plataformas
Protecionismo não seria a coisa mais normal do mundo? Po, então se é pra romper tais barreiras, a MS deveria liberar seus títulos "exclusivos" pra consoles da Nintendo e Playstation também né. Porque "exclusivo" poderia ser interpretado como protecionismo, portanto, "exclusivo microsoft" já o tal "protecionismo" na pratica.

Concordo que seja difícil imaginar algo assim considerando que por tantos tempo estivemos acostumados a lidar com aparelhos específicos com funções específicas. O próprio conceito de videogame remete a um aparelho feito para rodar jogos e fim de papo. Acontece que esse conceito vem mudando 
Então de novo, pra que lançaram OUTRO Xbox? Será este o último Xbox físico que veremos? Será que Xbox se tornará um aplicativo, um serviço de Windows?

Daí a pensar em um sistema que funcione independentemente do hardware que você tiver faz mais sentido. Poder comprar um jogo e usá-lo onde e como quiser me parece bem mais interessante do que o modelo atual.
Mas ainda sim dentro do campo "protecionista", porque ainda sim eu precisaria ter um dispositivo compatível fabricado por cof Microsoft cof.
Se outras empresas começarem a fabricar produtos compatíveis com o aplicativo Xbox e seus jogos, aí sim. D mesma forma que eu posso comprar um DVD e reproduzi-lo em qualquer dispositivo por aí, fabricado por "n" empresas. Isso sim não é protecionismo :)

Gosta de como a Live funciona? Ótimo, porque isso só tende a melhorar, seja num dispositivo móvel
Mas aí eu vou ter que pagar? A LIVE seria então o único serviço pago de sua categoria? Complicado hein...A não ser que ele seja pago somente no Xbox One, aí tanto faz porque eu não volto a assinar o serviço.

Pessoal ainda está amarrado ao conceito jogo/console, enquanto a MS está tentando popularizar o conceito comunidade/sistema.
Então, novamente, seja isso! A próxima geração não terá um novo Xbox, porque esse conceito de jogo/console está defasado :)

Essa é a minha opinião.

bom... apesar de até acreditar que a opinião do nelson seja sincera... convenhamos... as palavras dele em favor da empresa sempre serão questionáveis.
De fato.
 

jairopicanco

Viciado
4,462
8,750
Manaus
A MS via um tantinho além lá em 2013 hehe... "tudo hoje em dia está conectado, vamos fazer com que nosso console só funcione se estiver conectado..."
óbvio que o exemplo não é pra comparar com o que está acontecendo, até porque jogo de One indo pro PC não tem nada a ver com "always on", porém, a situação pode ser parecida com essa investida "visionária". Pode dar certo, mas pode dar errado. Torcemos que dê certo é claro.

Quero ver isso em todos os futuros jogos, incluindo Halo no PC com partidas crossplatform de pessoas que pagam Live, e outras que não pagam. Pessoas com mouse e outras com controle.

Então não sei qual é a do Xbox One. Se o dispositivo não importa, porque a MS me convenceu a fazer um upgrade de console? Acho que esse argumento se aplica à muita coisa como arquivos de Word no PC e mobile, Netflix no PC, Smart TVs, mobile e consoles e etc... Agora em jogos? Complicado. Porque aí eu já não vejo a razão da existência de um equipamento desenhado especificamente pra rodar jogos. Talvez seja esse o ponto da MS. Prevendo um futuro que não suporta mais o mercado de consoles.


Não vejo como vantagem porque vai saber, o provedor de internet pode falhar com o serviço, estragando a graça de qualquer benefício da nuvem. Tal qual é com netflix por exemplo. É incrível ter tantos títulos a disposição, mas sem internet, você só tem aqueles 5 blu rays ali que você já assistiu várias vezes. Sacou?


De fato.


Protecionismo não seria a coisa mais normal do mundo? Po, então se é pra romper tais barreiras, a MS deveria liberar seus títulos "exclusivos" pra consoles da Nintendo e Playstation também né. Porque "exclusivo" poderia ser interpretado como protecionismo, portanto, "exclusivo microsoft" já o tal "protecionismo" na pratica.


Então de novo, pra que lançaram OUTRO Xbox? Será este o último Xbox físico que veremos? Será que Xbox se tornará um aplicativo, um serviço de Windows?


Mas ainda sim dentro do campo "protecionista", porque ainda sim eu precisaria ter um dispositivo compatível fabricado por cof Microsoft cof.
Se outras empresas começarem a fabricar produtos compatíveis com o aplicativo Xbox e seus jogos, aí sim. D mesma forma que eu posso comprar um DVD e reproduzi-lo em qualquer dispositivo por aí, fabricado por "n" empresas. Isso sim não é protecionismo :)


Mas aí eu vou ter que pagar? A LIVE seria então o único serviço pago de sua categoria? Complicado hein...A não ser que ele seja pago somente no Xbox One, aí tanto faz porque eu não volto a assinar o serviço.


Então, novamente, seja isso! A próxima geração não terá um novo Xbox, porque esse conceito de jogo/console está defasado :)

Essa é a minha opinião.


De fato.
Parece que nessa geração, a Microsoft não está conseguindo navegar confortavelmente no atual oceano do mercado, ainda mais com o concorrente muitas léguas à frente, e está tentando mover a corrente inteira a seu favor. Se der certo, tem um oceano inteiro a disposição e na direção que ela quer; mas se der errado... corre o risco de ser engolida de vez pela tempestade.
 

DouglasFranchin

Jogador
2,363
1,600
Parece que nessa geração, a Microsoft não está conseguindo navegar confortavelmente no atual oceano do mercado, ainda mais com o concorrente muitas léguas à frente, e está tentando mover a corrente inteira a seu favor. Se der certo, tem um oceano inteiro a disposição e na direção que ela quer; mas se der errado... corre o risco de ser engolida de vez pela tempestade.
Boa analogia.
 
  • Curtir
Reações: jairopicanco

ariltonsama2

Viciado
152
40
Brasil
"MS vê um tantinho além" Desde o começo dessa geração ela tem feito merda seguida de merda. Algumas coisas salvaram mas o resultado tá ai, o PS4 esmagando o coitado do Xoninho em vendas.

"é permitir que usuários de Xbox e de PC joguem juntos" Pra que? lotar os servidores dos jogos de Hack igual ocorre nos Battlefields do PC, CS, GTA e afins? NÃO por favor. Apesar de terem os poucos hacks, os servidores multiplayer dos consoles sempre foram relativamente livres de baderneiros, totalmente o contrario do PC. Isso só vai trazer essa galera para o Xone.

OK, minha OPINIAO na real:
Se a microsoft realmente quiser beneficiar todo mundo, o minimo que ela deve lançar é o verdadeiro Windows 10 no console, integrado ao que já existe na Dash atual e permitir com isso a instalação de jogos de PC nos consoles. É justo que a coisa ande em duas mãos não? E pra jogar online no Windows 10? Seja na loja ou na Steam, eles terão que pagar para jogar online?

Se todos os jogos do Xone saírem no PC, qual a vantagem de ter o Xone realmente? Um computador de 2 mil reais consegue rodar jogos no mesmo nível em que o xone roda, ate melhor em 1080p. Ainda teríamos acesso a emuladores de todos os consoles da geração passada, acesso aos exclusivos de PC e aos do Xone. Isso não faz sentido algum, sinceramente. Nos, jogadores, não temos absolutamente nada a ganhar. Pelo contrario, a base ja não enorme de jogadores do Xone vai só tender a diminuir. Quem ainda não comprou o Xone com toda certeza não vai comprar mais, isso reflete em menos pessoas no multiplayer, um consequente abandono da plataforma pelas desenvolvedoras e afins.

Por mim, o anuncio dos exclusivos do Xone indo para o PC foi uma grande decepção.

CADE FF XIV ENTÃO?
 

GameStrike

Arauto da impaciência
Agora tu falaste algo interessante: O fator sentimento. há uma cultura consolidada e um apego grande com a caixa, o console, e não é a toa que são investidos milhões de dólares em design, pesquisa e desenvolvimento nesse hardware, a fim de que o jogador se identifique com ele, e rode os jogos com a qualidade devida. Isso não se muda da noite para o dia, com o estalar dos dedos, e o desejo do jogador SEMPRE deve ser levado em consideração nesta equação.
Faz sentido. É como se de uma hora pra outra, a Apple disponibilizasse o IOS para rodar em várias marcas de aparelho. Quem pagou 6K no Iphone iria amar. Há uma cultura em torno do aparelho, da marca, etc.
 

Ronan Barros

Novato
829
937
Por mim, o anuncio dos exclusivos do Xone indo para o PC foi uma grande decepção.
eu queria poder entender melhor esta frase.... tem como me explicar o porque vc fica decepcionado com o pessoal do pc jogando o mesmo jogo que o pessoal do one? Por acaso você tinha um PC potente e comprou um xone apenas para jogar os exclusivos e agora percebeu que nem precisava compra-lo? É isto?
 
  • Curtir
Reações: Runisat

felipevasco31

Viciado
1,959
2,157
Rio de janeiro
A questão é, até o momento os benefícios dessa integração com PC estão sendo totalmente unilaterais.
A Microsoft tem que fazer por onde e mostrar que essa relação Xbox/PC vai ser proveitosa para ambos. o fato é : não é apenas um jogo que está perdendo exclusividade, mas sim o conjunto de medidas que está pra vir, e que a primeira vista parece não trazer nada de interessante aos usuários do Xbox one .

porque tenho que pagar a live e os usuários de PC não ?

Porque tenho que pagar mais caro pelos jogos?

porque compartilho exclusivos AAA com PC e o contrário não ocorre?

São essas perguntas que os executivos da Microsoft devem responder.
 
Status
Este tópico está fechado para novas postagens.